C3cede 02ff055f3a1942ddbf38fd9354ee9708

Quando lemos qualquer dissertação que aborde esse tema, podemos perceber a grande importância desse ato de amor e os benefícios que esse alimento traz para nossos pequenos bebês. Então, para fazer algo mais interessante, hoje vou tentar redigir  além desse “clichê”, que é falar das vantagens e desvantagens do aleitamento materno exclusivo até os 6 meses de vida.

 

Definições 

 

Para quem não sabe, existem algumas definições importantes sobre a forma de amamentar: 

 

Aleitamento materno exclusivo (AME): a criança só recebe leite humano, da própria mãe ou do banco de leite, sem outros líquidos ou sólidos à exceção de vitaminas e medicamentos. 

 

  • Você sabia que não é necessário, e nem recomendado, dar  água aos bebês que estão em AME ??

 

Aleitamento materno predominante (AMP): Além do leite humano, o bebê recebe água, chás, suco de frutas em quantidades limitadas. 

 

Aleitamento materno complementado (AMC): Nesse caso a criança também recebe alimentos sólidos ou semi sólidos com o objetivo de completar o leite materno, mas não substitui-lo 

 

Aleitamento materno misto (AMM): Além do leite humano a criança recebe outros tipos de leite. 

 

Benefícios para as mães

 

É muito comum lermos sobre os benefícios que o nosso bebê tem ao receber o aleitamento materno exclusivo, mas não é tão comum assim ver artigos e revistas dizendo sobre os milhões de benefícios que nós mães temos com todo esse esforço. Então ai vai alguns: 

 

Prevenção para hemorragia após o parto

Eficácia anticoncepcional ate os 6 meses após o parto ( somente se for AME)

Diminui as chances de fraturas ósseas futuramente (no período de pós menopausa)

Diminui o risco de câncer de mama e de ovário

Diminui em 15% a chance da mulher de desenvolver diabetes tipo II para cada ano de lactação 

Promove perda de peso com um gasto energético de 704  kcal/dia  

Promove economia e eficácia uma vez que o leite materno é saudável e de graça

 

Preparo para amamentação 

 

Você não precisa se preocupar em preparar suas mamas, pois durante a gestação a natureza já se encarrega disso promovendo o crescimento do tecido mamário, o escurecimento da aréola (tornando a resistente) e o desenvolvimento das glândulas de Montgomery, que são as produtoras de uma secreção oleosa, que protege os mamilos e a aréola do atrito da boca do bebê.

 

  • Você sabia que não se deve usar buchas ásperas nos seios e mamilos para deixa-los mais resistentes durante a gestação? Essa fricção pode estimular a liberação de um hormônio chamado ocitocina que é responsável pela descida do leite e também pode provocar contração da musculatura uterina, podendo causar um parto prematuro ou abortamento.   

 

Alguns cuidados sao recomendados:

-Devemos evitar o uso de sabonetes nos mamilos para evitar rachaduras e a retirada do oleo natural 

-Expor a mama ao sol, pois diminui a sensibilidade dos mamilos 

-Se seu mamilo for plano ou invertido, no terceiro trimestre você pode fazer um orifício no sutiã para facilitar a protrusão. 

 

Armazenamento do leite 

 

Não é recomendado armazenar o leite humano cru (não pasteurizado) fora da geladeira por momento algum. 

O ideal é ordenhar a mama com as próprias mãos, realizando a extração manual do leite materno. Procure seu pediatra para receber informações sobre a ordenha manual com mais detalhes. 

O leite humano deve ser armazenado em recipiente esterilizado, de preferencia de vidro e com tampa. Antes de ser oferecido ao bebê deve ser reaquecido em banho-maria e agitado suavemente para homogeneizar a gordura. Oferecer em copinho ou colher.

  

-Na geladeira: pode permanecer por 12 horas 

-Congelador ou freezer (<= -3 graus): 15 dias

 

O leite humano pasteurizado ( fervido a temperatura de 62,5 graus por 30 minutos), pode ser armazenado em congelador/freezer (<= -10 graus) por seis meses. O descongelamento deve ser feito dentro da geladeira, aquecido em banho-maria, homogeneizado e oferecido à criança em copinho ou colher. 

 

 

Mitos

 

-“Leite fraco”: Não existe. O aleitamento materno é adequado para o crescimento e desenvolvimento do nosso bebe ate os seis meses de vida. 

 

-“Pouco leite”: Na grande maioria a pouca produção de leite é causa de erro na técnica de amamentação e ou pela baixa frequência de sucção das mamas. 

Procure seu pediatra para informações sobre posicionamento e pega.

 

-“Não tenho leite”: A ausência total de produção de leite é extremamente rara na espécie humana. O volume e o fluxo de leite aumentam até o 15 dia pós-parto e geralmente atingem seus níveis máximos ate a sexta semana. O volume diário da produção de leite está relacionado à sucção, então quanto mais nosso bebe sugar, mais leite será produzido pela mãe. 

 

-“O peito cai”: O acometimento estético das mamas ocorre devido as alterações gravídicas e não pelo fato da mulher amamentar. Uma medida preventiva é o uso do sutiã de alças largas que promove boa sustentação dos seios.

 

 

-“Cerveja preta, leite de vaca e canjica aumentam a produção de leite”: Não ha evidências que algum tipo de alimento específico aumente a produção de leite. Vale ressaltar que a cerveja é uma bebida alcoólica, devendo ser evitada e que o aumento da ingestão de leite pela mãe pode provocar alergia no recém-nascido ao leite de vaca.   

Faça parte da nossa comunidade, e não perca uma atualização

Não enviamos spam. Apenas conteúdos úteis para você.